sábado, 28 de maio de 2011

É hora de levantar do banquinho!

Olá meninas, 
O post de hoje é mais uma curiosa e divertida história do nosso colaborador Leandro Benitez.
Que através de suas palavras deixa grandes mensagens de incentivo e inspirações!

Boa leitura e não deixem de participar com seus comentários!!!

Beijinhos flores!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
Olá leitoras do blog Mulher Rica! Hoje decidi dar um pulo aqui para trazer uma nova história mais um pedacinho de mim na esperança de que isso de alguma forma, ajude vocês a superar mais uma berreira, vencer mais um obstáculo e subir mais um degrauzinho em direção a sua independência financeira.

No meu último post aqui no blog contei para vocês a história de como consegui viajar para a Fena Doce com o dinheiro que consegui vendendo “PESTO”, a moral da história era que não importa a sua circunstância, quando queremos alguma coisa de verdade, damos um jeito e criamos soluções para conseguir o que queremos, no meu caso, o meu desejo era poder viajar junto com os meus amigos, porém a falta de dinheiro me fez criar uma solução alternativa, fazer e vender pesto, um tempero muito famoso no Uruguai e utilizado para colocar no churrasco ou no pão.

Hoje eu venho contar para vocês uma outra história minha, porém esta tem um objetivo diferente, vamos ver se vocês conseguem descobrir até o final do post.


Bom, lá estava eu sentado no banquinho da loja de calçados dos meus avós, o banquinho era daqueles que tem nas lojas para o cliente sentar e experimentar os calçados, a base toda metálica e com o acento forrado de napa. Este banquinho teve uma participação muito grande na minha vida, foi nele que eu passei a maior parte da minha adolescência, reclamando dia após dia da desgraça que era a minha vida, era sempre a mesma coisa, sempre a mesma monotonia, eu não tinha amigos, não tinha dinheiro, não tinha nada, ohh vida, ohh céus, como eu era coitadinho! Chegava a dar pena de mim mesmo!



Uma das minhas rotinas era todos os dias ler o horóscopo do jornal a Folha, incrível pensar que eu me baseava no que estava escrito lá para saber se o meu dia seria bom ou ruim, mas vem cá, você não conhece alguém que é assim também?

Bom, a outra coisa que eu fazia era ler os classificados de um jornal local da minha cidade, lá eu olhava tudo que pudesse chamar a minha atenção, muitas vezes ligava para donos de teclados (musicais), donos de baterias (instrumento musical), ligava para donos de motos, de fuscas, até mesmo donos de saxofones, para que? Sei lá, acho que eu tinha uma ansiedade muito grande com definir alguma coisa, uma ansiedade de que alguma coisa acontecesse na minha vida, porém nada de interessante acontecia, ou eu não tinha dinheiro para comprar ou simplesmente era chamado de louco pela minha família. Porém determinado continuei olhando dia após dia os classificados até que uma coisa chamou a minha atenção!

"Vende-se pirógrafo semi profissional, ótimo para escrever em couro, isopor, madeira, ótimo para fazer lembranças, quadros decorativos, entre outros, interessados tratar com fulaninho de tal no telefone qualquer número ou no endereço: rua descobri o que quero da vida 123vivaviva. "


Liguei para o dono do pirógrafo e perguntei quanto ele queria, na época era algo entorno de R$ 150,00, para mim, uma fortuna inalcançável. Pensei: Quero isso, quero muito isso!!!



Tentei levantar o capital com meus familiares, argumentei com eles os benefícios que o pirógrafo traria, de como eu poderia ficar rico pirografando mateiras (estojo onde nós gaúchos carregamos o chimarrão – feito em couro), pirografando selas de cavalos, etc. Nada feito, ninguém disposto a arriscar o seu capital com um empresário que não tinha plano de negócios! Porém lembram do que eu falei antes? Quem quer consegue (não é a toa que esta é a frase do instituto universal brasileiro), decidi que ia ter aquele pirógrafo, foi aí que decidido procurei o dono do mesmo para uma conversa homem a homem, chegando no seu endereço descobri que a esposa dele tinha uma loja de alugar roupas para festas (ternos, vestidos, smoking, etc) pronto, resolvido o meu problema, falei para o cidadão, meu caro, te dou um smoking que eu tenho em troca do pirógrafo, ele pensou, pensou e disse, vou falar com a minha esposa e já te digo.

Tic tac, Tic tac... e ele volta, bom, vamos fazer o seguinte, traz o smoking e vamos ver como ele está, se estiver tudo ok a gente troca.

Eu fui correndo até a minha casa e quase sem fôlego voltei com o smoking, eles olharam o smoking e viram que por mais que fosse um smoking usado (eles nem imaginavam que eu tinha ganhado de presente de uma pessoa que não podia mais usá-lo por que não servia, ou seja, eu era o segundo dono do smoking), o que eles iam tirar alugando-o umas cinco vezes traria o dinheiro do pirógrafo fácil, então decidiram fechar o negócio e eu saí com vontade de gritar de alegria, eu tinha fechado o meu primeiro negócio de sucesso, eu era um empreendedor, nossa, eu tinha trocado um smoking por um pirógrafo de R$ 150,00 (levando em consideração que o smoking não tinha me custado nada eu sai na vantagem, quem sabe começaria a pegar roupas usadas de outras pessoas e trocava elas por alguma outra coisa?).



Bom, com o pirógrafo em mãos eu mal poderia esperar para começar a produzir as minhas obras, procurando alguma coisa para queimar com o meu pirógrafo encontrei uma loja que fabricava e vendia peças em couro, me ofereci para fazer uma parceria e pirografar os produtos deles, porém o filho dos donos da loja já fazia isso e muito bem diga-se de passagem. Mas pera ai, eu era um negociador, precisava sair daquela loja com algum negócio feito! Foi aí que vi uns retalhos de couro no chão e perguntei ao dono se poderia me conseguir retalhos de couro, ele prontamente me deu uma sacola cheia de pedaços de couro.


Bom, com couro, o pirógrafo, faltava somente a ideia, e não é que ela veio! Cortei diversos pedaços pequenos e retangulares e escrevi nomes comuns neles, fui a uma loja perto da minha casa, comprei dois metros de correntinha, algumas argolinhas pequenas de metal e aquelas argolas que todo chaveiro tem, pronto, surgiu o meu primeiro produto comercializável, os chaveiros com nomes.


Fiz os meus primeiros chaveiros e comecei a oferecer para meus conhecidos, além é claro de deixar eles pendurados na loja de calçados dos meus avós para que minha avó vendesse para mim enquanto eu produzia mais coisas.


Como não dava para ficar usando todos os pedaços de couro que eu tinha por que poderia gastar tudo com nomes que nunca iriam vender, precisava encontrar outras coisas para queimar, pirografei a minha mesa, cabos de vassoura, colheres de pau, tudo que fosse queimável lá estava eu feito cupim na madeira.
 

Madeira?? humm que? MADEIRA!!!!! claro!!! fui correndo em uma empresa que vendia madeira e pedi pedaços de madeira que sobravam, para eles não servia para nada, para mim era ouro! Peguei pedaços de madeira em forma triangular que eles deixavam cair cortando tábuas de madeira grandes.



Comprei aqueles ganchinhos de ferro de por chaves e pronto, mais um produto! Um porta chaves! Pirografei diversas frases e desenhos, coloquei os ganchinhos e para pendurar na parede, ou eu furava com o próprio pirógrafo atrás para encaixar o prego, ou eu pregava com taxinhas um pedaço de couro com um furo.


Já poderia até mesmo fazer uma venda casada, compre um porta chaves + um chaveiro com o seu nome por R$ 9,99.


Meus produtos estavam começando a aumentar, as ideias também!


Logo comecei a comprar madeira e não só pegar os pedaços que caiam no chão, já o couro era caro, não dava para ficar comprando, mas os retalhos me ajudavam muito. Um dia peguei um pedaço grande e mal cortado, não hesitei, comprei umas taxinhas bonitas (pretas com a ponta da cabeça douradas), peguei um pedaço de madeira de praticamente 1 x 1 m, envernizei, deixei secar, preguei o couro com as taxinhas, e comecei a desenhar a Ponte da nossa cidade, a Ponte Internacional Mauá, ficou lindo, demais da conta! Envernizei o couro também, assinei o quadro, coloquei dois ganchinhos uma em cada ponta superior para que o quadro pudesse ser pendurado na parede e coloquei também na loja dos meus avós que amavelmente cediam um espacinho para que eu colocasse as minhas coisas para vender.


Um dia toca o telefone de casa e o meu avó me falou, olha tem uma senhora na loja querendo comprar o teu quadro para levar para o Rio de Janeiro, para mim, do interior do Rio Grande do Sul, vender um quadro para o Rio de Janeiro era algo inacreditável, fui correndo feito um louco pelas ruas da cidade até chegar a loja quase desmaiando pela falta de ar. Quando vi aquela senhora eu tinha vontade de dar um abraço nela, mas bem apertado, só que ela estava com pressa e queria levar o meu quadro por inacreditáveis R$ 50,00, elogiou o meu trabalho e foi embora com o meu quadro, foi uma gritaria dentro da loja, meus avós felizes por verem eu ganhando o meu dinheiro e eu feliz por ganhar o meu dinheiro!




Com uma quantidade de produtos considerável, porta chaves, quadrinhos pequenos, chaveiros, etc, eu já não tinha mais onde colocar, afinal de contas a loja dos meus avós era uma loja de calçados e eu não podia simplesmente encher de produtos artesanais, foi ai que eu vi na frente de um super mercado um daqueles expositores de metal onde são colocados os salgadinhos sendo jogado fora, analisei o expositor e vi que o único problema dele era ferrugem, resolvi pegá-lo, lixei e pintei, pronto, eu já tinha o meu expositor, criei uma plaquetinha para colocar encima dele com o meu nome indicando quem mandava naquele espaço e assim surgiu o meu pequeno comércio de produtos pirografados.
 

Todos os dias eu chegava com os meus avós na loja, pegava o meu expositor e colocava na calçada na frente da loja de forma a não atrapalhar a circulação de clientes, quando eu não podia ir por qualquer motivo minha avó tirava o meu expositor e vendia os meus produtos para mim, entregando-me no final do dia o dinheiro, e olha que nem comissão ela recebia!


Com o tempo as pessoas já me conheciam e me procuravam até mesmo para pirografar produtos em couro que eles compravam nas lojas de artigos gaúchos (bainhas de facas, mateiras, apoio de chimarrão, caixas de MDF, etc).


Em pouco tempo eu havia recuperado o que gastei com o pirógrafo, ou seja, o valor equivalente aos R$ 150,00, e mais um pouco que já dava inclusive para comprar um outro smoking novo.


Minha lojinha durou algum tempo até que outros empreendimentos surgiram, vendi o meu pirógrafo cerca de um ano e meio depois de ter comprado ele, vendi por R$ 200,00 em dinheiro para um cara que trabalhava no presídio da cidade, fui pessoalmente entregar ele e mostrar como funcionava.


Hoje, muitos anos depois, tenho um pirógrafo profissional que comprei para fazer peças pirografadas para colocar na loja da minha esposa (procure por peças pirografadas) e para me distrair.


Moral de toda esta história, quando você quer alguma coisa, você dará um jeito de tê-la!
Independente de ter ou não dinheiro para isso, você venderá coisas velhas, fará permutas, perderá a timidez de fazer propostas que você sabe que não são vantajosas para a outra parte, pois você não sabe o que a outra pessoa está passando, muitas vezes o que ela está vendendo está sendo um problema para ela e qualquer coisa que você ofereça que desperte o mínimo de interesse, será aceito, essa pessoa está se desfazendo de um problema e ao mesmo tempo ganhando algo que lhe interessa.

A segunda moral da história é, se você está cansado do que está fazendo atualmente, procure alternativas, mesmo que as pessoas te critiquem, que elas digam que você é louca, não se abale, continue acreditando no seu potencial e nas suas ideias, no fim, quando você tiver conquistado o que desejava, não se vanglorie, você poderá precisar das pessoas que te criticaram antes para financiar as suas ideias, a diferença é que agora elas sabem que você faz aquilo que se determina a fazer.

Bom meninas, espero que tenham gostado de mais este fragmento da minha história e que ele possa trazer a vocês não só momentos de risadas e divertimento, mas que também traga esperança, ânimo, desejo de lutar, de continuar na luta, de vencer! Lembrem-se de que por maior que seja a luta, nós sempre temos a capacidade de vencê-la.


Deixem os seus comentários, me contem o que acharam do post, critiquem, sugiram, opinem e contem a sua história de sucesso também, afinal de contas, o que é a vida se não um eterno aprendizado e troca de experiências?


Finalizo com a minha frase preferida que diz: “Deus não escolhe os capacitados, Ele capacita os escolhidos”


Grande Abraço

Leandro Benitez

23 comentários:

  1. Amei o post... era muito o que eu precisava ler...

    Sou formada em Ciências Contábeis, mas nunca atuei na área... Gosto mesmo é de fazer bijouterias e artesanatos com tecido e crochê (tipo porta lenço, porta celular, porta maquiagem, porta moedas... etc. etc. etc.)

    Recebo muitos elogios por esse meu "dom", mas as vezes o apoio é meio falho pois na minha família isso é mais visto como um bico, acredito por não ser de carteira assinada ou por eu não ter horário pra sair de casa e ir pra uma empresa trabalhar...

    Com essa coisa de meu trabalho ser encarado como bico por alguns isso vai me desmotivando, acabo deixando o meu "dom" de lado... mas ele sempre me chama e sempre volto pra ele.

    Agradeço pelo post pois vi como algo informal pode ser transformado em negócio e não num motivo para que eu me envergonhe (as vezes penso, será que as pessoas estão comprando o meu produto pq gostaram ou pq estão querendo me ajudar?).

    Bem, é isso...

    Super bjkas,

    Rita Marques (@ritamarques_ssa)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ja tive o mesmo probema mas estou vencendo acredite e pegue fieme que voce consegue beijos jackie

      Excluir
  2. Oii Rita,

    Que ótimo seu comentário, é essa reação que espero das pessoas que visitam e leem nosso blog.

    Gostaria de te dizer que de forma alguma deves ficar envergonhada do trabalho que você sabe fazer e faz bem feito.

    Se é isso mesmo que você gosta de fazer, dedique-se de verdade, comece VOCÊ a levá-lo a sério, assim as outras pessoas vão perceber que é importante para você e que a coisa anda mesmo.

    E esse "preconceito" é normal aqui no nosso país, as pessoas ainda têm essa dificuldade de aceitar outros tipos de trabalhos a não ser o de carteira assinada!

    Volte mais vezes aqui no blog e sigas dividindo conosco as tuas experiências.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu blog!!! Eu sempre me preocupei com as finanças, aliás, aqui em casa eu que ponho tudo em ordem. É muito bom ter um blog voltado para isso.
    Parabéns pela iniciativa!
    Bjao

    ResponderExcluir
  4. Oii Mah,

    Muito obrigada pelo apoio. Esse assunto realmente me fascina e sinto-me realizada de poder dividir tudo que tenho aprendido nessa caminhada!

    Também sou eu quem puxa mais aqui em casa, meu esposo era muito consumista e acabei deslizando e nos endividamos, mas agora ele está comigo na luta e não tenho dúvidas de que conquistaremos tudo o que sonhamos, pq juntos a carga é mais leve neh?! rsrsrs

    Volte mais vezes viu?!

    Um beijo

    ResponderExcluir
  5. bom día..muito bom o blog..
    a vida da pessoa muda mesmo quando ela quer..
    tenho a dizer que na minha vida..tudo melhorou depois de me casar... comecei a querer sempre mais..procurar mais,para não ser apenas + um..e então saío na frente e procuro sempre estar crescendo..a unica diferença entre meu antes e depois..foi EU QUERER!.

    ResponderExcluir
  6. Esse texto é muito bom e extramamente motivador.
    Ah, eu estou em Pelotas e a Fenadoce começa dia 15 de Junho.

    ResponderExcluir
  7. Marcelo,Carolina y Emanuel - Muito obrigada pelo carinho e pela visita.

    Eu também acredito muito que o poder está em nossas mãos. Podemos tudo, basta querer!

    Beijos volte mais vezes :D

    ResponderExcluir
  8. Olá "Anônimo" rsrsrs

    Muito obrigada pelo lembrete, mas vou ficar só na vontade :(:(
    Coma bastante bombom de morango por mim!!!!!!

    Beijinhos

    Volte sempre!

    ResponderExcluir
  9. Bom dia pessoal!! tudo bem com vocês??
    Demorei um pouco mas cheguei para responder aos comentários de vocês que diga-se de passagem me deixaram muito feliz!

    Começando do inicio quero agradecer a Rita Marques pelo seu comentário e por compartilhar conosco uma parte de sua história também, adoro ler a história de vocês!
    Rita, eu sei bem como é viver o que estás vivendo, eu tive diversas fazes na minha vida, diversas vontades por assim dizer, uma hora queria uma coisa, outra hora queria outra e por ai vai, quer saber? Continuo assim (risos), porém agora não mais me julgo negativamente por isso, pelo contrário, entendi que este é o meu perfil, o perfil de empreendedor, onde não importa onde, como ou quando, o que importa é o negócio, é aproveitar as oportunidades para fazer o que gostamos de fazer.
    Com certa idade, eu descobri que queria trabalhar com tecnologia, como não tinha dinheiro para pagar o curso eu fiz uma troca de parceria, eu ministrava aula de algo que eu dominava (espanhol) em troca de cursos de tecnologia em uma escola do Rio Grande do Sul (história de outro post que virá por ai), eu me dediquei muito, estudei muito, virava no mínimo duas noites por semana lendo todos os livros que podia, ficava a madrugada toda baixando apostilas via internet discada para no outro dia ter material suficiente para estudar. Eu vim para são paulo e meus estudos continuaram, eu construi uma carreira sólida, obtive certificações internacionais na minha área e no auge decidi largar tudo e viver a aventura de me tornar um operador do mercado financeiro, sai de um salário estável e bom para uma profissão onde não tem salário (meu primeiro pagamento como operador dae mercado financeiro foi de R$ 28,00). Atualmente eu curso Ciências Econômicas que é a minha segunda formação, porém continuo brincando com tecnologia, pirografando, ajudando minha esposa com biscuit, tocando violão, operando na bolsa de valores, etc. E quer saber? Amo fazer tudo isso, e é aqui que eu queria chegar, não importa a tua formação, não importa a opinião das outras pessoas, por que se pararmos para pensar, as pessoas te dão opiniões baseadas no que elas conhecem, nas suas experiências e no amor que tem por ti, algo transmitido no medo de que tu te dé mal fazendo o que para elas não vai te trazer dinheiro. Porém viver uma vida toda infeliz em um escritório fazendo a contabilidade de outras empresas quando podemos fazer da nossa? Viver fazendo o que amamos mesmo diante dos riscos? Eu fico com a segunda sem sombra de dúvidas, sei que quando faço algo que amo, que gosto, que sinto que tenho o dom e de quebra sou elogiado por isso, não tenho dúvidas de que o dinheiro será uma consequência, as pessoas irão te admirar por ser corajosa e quem sabe não te vemos em uma revista como pequenas empresas grandes negócios contando a tua história.

    Esquece a palavra bico e mentaliza a palavra empreendimento, tu é uma empreendedora, e sabe que se tudo der errado ainda terá uma saída, encontrar um emprego na tua área, porém se não encarar o medo e tentar fazer o que gosta, talvez viva a vida toda pensando no que deixou de fazer.

    Tenha certeza de que terá sucesso na sua caminhada, acredite no seu trabalho e acima de tudo em Deus que é quem nos capacita e nos direciona pelos caminhos certos.

    Conte com a gente aqui no blog da Mulher rica, venha sempre que puder e conte-nos como anda o seu empreendimento, as suas vendas. Fique de olho nas postagens por que estamos preparando novos artigos para ajudar empreendedores que estão ainda na dúvida e para aqueles que estão um pouco perdidos com relação a como administrar os seus empreendimentos.

    Garnadíssimo abraço, obrigado por participar e parabéns pela sua hisótia.

    ResponderExcluir
  10. Muito bom Marcelo, Carolina e Emanuel, é assim mesmo que a coisa funciona, quando descobrimos que as únicas pessoas capazes de fazer a coisa acontecer somos nós mesmos, dai ela funciona.
    Nos sempre temos escolhas e caminhos a seguir, quem decide por onde ir somos nós, muitas vezes achamos estar indo no caminho certo, porém não era, voltamos corrigimos o caminho e agora sim, vamos adiante.

    Muitas vezes escolhemos o caminho pela sua beleza, mas durante a caminhada descobrimos que não era tão lindo assim como imaginávamos, e que na verdade, o outro caminho, o que parecia ser ruim, era o melhor.

    Eu aprendi que nos fortalecemos com as dificuldades, que aprendemos errando, mas para isso é preciso errar, levantar do banquinho e fazer a coisa acontecer de verdade. Se pararmos, se desistirmos, ai a vida passa enquanto nos ficamos assistindo ela passar sentados.
    Parabéns, pela tua atitude, QUERER, QUERER DE VERDADE, é o combustível para o agir.

    Grande Abraço e volte sempre para nos contar mais da sua história, aventuras, e ler os artigos da mulher rica.

    Deus abençoe a família de vocês!

    ResponderExcluir
  11. Amigo/a Anônimo, agradeço imensamente pelas tuas palavras, elas sim são motivadoras, fico muito feliz de que tenhas gostado e de alguma forma aproveitado o post que escrevi com todo carinho para vocês. Espero que volte mais vezes ao blog da mulher rica e que nos traga também as tuas histórias, elas são muito importantes para nós.

    Ahh meu/minha amigo/a, aqui em São Paulo está frio para caramba, enquanto escrevo a tua resposta saboreio um chimarrão, porém fiquei passando mal me lembrando dos doces dai, deu muita vontade de comer até não aguentar mais (risos).
    Vamos ver, quem sabe conseguimos dar um pulo ai a partir do dia 15.

    Aproveito e te faço um desafio que acabei de criar(mais risos)

    Se tirar uma foto tua na fena doce com doces e com um cartazinho que contenha a seguinte frase:

    “Estes doces são para todas as mulheres que participam do blog da mulher rica”

    Eu irei te enviar de presente um livro que faz parte de minha história e é um dos meus favoritos.

    Aceita o desafio?

    Grande Abraço, sucesso e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  12. Olá.

    Eu sou o anônimo de Pelotas, meu nome é Tatiana.
    Bem, quanto ao desafio do Leandro não sei se tenho "coragem" para tirar uma foto na feira em frente aos stands, mas posso tentar tirar diante de uma bandeja de doces em casa mesmo.
    Será que assim vale???

    ResponderExcluir
  13. Olá Tatiana, aqui estou eu novamente para te responder.

    Fico feliz de que tenhas voltado e mais ainda por teres deixado o teu nome para que possamos nos dirigir a ti pelo mesmo.

    Bom, o intuito do desafio é justamente fazer uma coisa inusitada, fazer alguma coisa que normalmente tu não farias por vergonha ou por medo (claro que dentro do racional), pois é este o objetivo do Blog da Mulher Rica, mais do que aprender coisas que ainda não sabemos, é desaprender coisas que aprendemos errado.

    Fazer isso, ainda mais agora que tu mencionou a possível intimidação, não só provará para ti mesma que consegue, como será um grande exemplo para todos que participam do Blog, eu com certeza escreverei uma postagem falando do desafio que te propus e de como tu o venceu ele, usando inclusive a tua foto para provar.

    O meu objetivo com isso é mostrar, que fazer o diferente, aquilo que a maioria das pessoas não faria, é o que faz com que nos tornemos o que a maioria não se torna, pessoas de sucesso.

    Neste caso, fazer isso, que normalmente não farias, te trará um pequeno sucesso, porém servirá como um pequeno laboratório para desafios maiores que com certeza terás duranta a vida e que eu desejo de coração que superes cada um deles como irás fazer com este pequeno.

    Aguardarei ansioso pela tua foto enfrente aos estandes com uma bandejinha de doces e um cartazinho que contenha a seguinte frase “Estes doces são para todas as mulheres que participam do blog da mulher rica”.

    Até lá Tatiana!

    Grande Abraço

    Leandro Benitez

    ResponderExcluir
  14. Muito boa sua história! Sem dúvida, é uma injeção de ânimo em todas nós! Obrigada por compartilhá-la!
    Estou correndo atrás dos meus sonhos, pois não posso esperar que outros façam por mim!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  15. Boa noite amiga, muito obrigado pelo seu comentário, com certeza a alegria maior é minha, de poder compartilhar com vocês parte das minhas histórias.
    Não desista nunca dos seus sonhos, a final sonhar é viver, quando paramos de sonhar paramos de respirar.
    É verdade que não podemos esperar nada dos outros, cada um tem os seus sonhos, os seus objetivos, nós devemos cuidar dos nossos.
    Conte sempre conosco e volte sempre aqui no Blog para deixar o seu comentário e contar a sua história também!

    ResponderExcluir
  16. Olha, esse site é muito bom, conheci ele por indicação do próprio Leandro.

    Mas pelo amor de Deus, não deixe este site parar, pois é conteúdo como esse que faz a internet se salvar de tanto lixo virtual ultimamente!

    Me identifico muito com a história do Leandro contada nesse post, mas a diferença é que o meu "pirógrafo" vai ser o mercado de ações se Deus assim permitir!

    Bom, abração à Maiara Xavier e ao Leandro Benitez, idealizadores geniais.
    ah, e minha visita aqui já vai ser de carteirinha!! :]

    ResponderExcluir
  17. Nossa, é muito bom receber um incentivo desses!
    Não é nada fácil manter um blog atualizado e com conteúdo de qualidade, mas estamos muito empenhados nesse projeto e acreditamos muito nos frutos desse esforço!

    Agradeço imensamente pelo carinho e desejo que possamos seguir atendendo as suas expectativas!

    Um beijo grande

    ResponderExcluir
  18. Que história de vida maravilhosa, com altos e baixos e no final vencedor. Me emocionei a ponto de chorar lendo o teu depoimento. Tenho 63 anos e faço artesanatos variados, os preferidos são os recicláveis, a exatamente 55 anos,aprendi com minha madrinha. Ao longo da vida tive muitos desencontros com a felicidade,e a minha veia artística. Me envolvi muito com a família e esqueci de mim. Hoje tenho um objetivo e um sonho,e um projeto de um invento (máquina) que estou executando, assim que concluir registrarei e colocarei no comércio. Muito obrigada por ter colocado este depoimento. E obrigada meu Deus por me trazer até este blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo Sarita, fiquei muito muito feliz pelo teu comentário.
      Desejo do fundo do meu coração que definitivamente te coloques em primeiro lugar, ouça teus desejos e vontades e encontres a felicidade plena.

      Muito sucesso pra ti!!!
      Que Deus abençoe grandemente teus caminhos.

      Beijinhos

      Excluir
  19. Olá Sarita, não tem ideia do quanto foi bom receber o teu comentário. Eu estou prestando uma consultoria aqui em São Paulo e hoje pela manhã a Maiara entrou em contato comigo e me pediu para dar uma olhada no post por que haviam comentários novos que eu ia gostar. Parei tudo que estava fazendo e fui ler. Emocionado fiquei eu de ter a oportunidade de te conhecer e de ouvir uma fração da tua história que também me deixou motivado.
    Eu te admiro muito pelo que fazes pois sei o quanto é difícil para quem trabalha com aretsanato, é um aluta diária onde temos que inovar, manter clientes, conquistar novos e tudo isso sem perder a nossa motivação no dia a dia. Viver do artesanato requer muita determinação e muita ATITUDE. Meus parabéns por estar neste mercado há tanto tempo e novamente meus parabéns por ajudar o nosso planeja criando obras a partir de materiais recicláveis.

    Eu ainda estou aprendendo a não escrever muito, mas é mais forte do que eu, então eu gostaria de aproveitar a oportuindade e te falar as coisas que vieram a minha mente enquanto lia o teu comentário. Vamos lá.

    Tenho certeza que quando escrevestes esta parte: “Que história de vida maravilhosa, com altos e baixos e no final vencedor.” Escrevestes por que de alguma forma (se não de todas) vivestes também grandes desafíos na tua vida, desafíos que por muitas vezes achastes que não superarias, estou certo? Mas como toda tempestade, os desafíos também passaram, o sol veio e logo estavamos ouvindo os passarinhos cantarolarem. A vida é realmente um desafío, tanto é que muitas pessoas desistem, mas não nós! Só faria uma observação sobre a tua frase que é sobre o final, sim, sai vitorioso em cada um dos desafíos que enfrentei, mas a luta é diária e contínua até o nosso ultimo dia aqui na terra, então não podemos nunca parar, temos que estar sempre preparados para as lutas e fazendo de tudo para viver o melhor possível hoje com tudo que aprendemos durante as nossas vidas. Só me considerarei vitorioso de verdade quando acordar e estiver do lado do bom Deus, ai verei que tudo valeu a pena e que realmente venci ;-).

    ResponderExcluir
  20. Com relação aos desencontros com a felicidade, querida amiga, eu posso te dizer que ao ler, reler e enquanto escrevo isto, muitos momentos me vem a cabeça, momentos em que eu não sabia mais o que fazer para sair do buraco em que me meti, eu ficava madrugadas e mais madrugadas sentado na sacada do meu apartamento no frio, sem conseguir chorar, sem conseguir sorrir, sem conseguir fazer nada a não ser ocupar um lugar no espaço, naqueles momentos se o medo não fosse maior do que o meu desespero, creio que eu teria pulado várias vezes. Hoje quando penso nesses momentos, nessas épocas, sinto a força e o resguardo de Deus para comigo, a mão dele que me livrou de tudo isso e não parou por ai, usou esse tantinho de coisas que eu passei para me formar o que sou hoje. Posso te dizer que hoje me sinto um verdadeiro guerreiro, não por ser melhor do que outros, mas por estar disposto a pelejar até minha última gota de energia para vencer, quando eu não aguento mais, chamo um amigo meu que não perde uma batalha, Deus. Aprendi que quando estou sem forças, basta deixar o joelho dobrar, colar a cara no chão e chorar para o único que sabe de tudo. E olha, estou arrepiado neste exato momento só de lembrar da quantidade de provas que Ele já me deu e continua me dando.

    Finalmente, te desejo do fundo do meu coração com toda a sinceridade do mundo que sejas MUITO, mas MUITO feliz, que Deus te guie e todas as tuas decisões e que em tudo que puseres as mãos, Ele te faça prosperar. A tua invenção, seja ela qual for, será próspera, e não falo isso por mera educação ou convenção, mas por ter certeza absoluta que quando Deus poe a mão, nada pode frustrar o desejo dele.

    Obrigado a Deus por ter colocado o teu depoimento junto do meu e que muitas pessoas se inspirem e criem forças junto com a gente.

    Finalmente, se me permitires, gostaria de te deixar uma indicação de um filme muito muito especial. Se chama a virada: http://www.gospelgoods.com.br/produto.php?prod=1135
    Deves encontrar ele facilmente em qualquer locadora de vídeos.

    Um grandíssmo abraço Sarita e obrigado por alegrar o meu dia!
    Fica com Deus.

    ResponderExcluir
  21. Marli de Pinho Simoes22 de julho de 2013 20:14

    Parabéns a voces pelo blog.

    Gosto muito do tema, pois dinheiro e finanças pessoais tem muito a ver com atitudes e valores.
    Tudo depende de colocarmos em prática nossas escolhas a cada dia.
    E termos consciencia que pra uma vida cheia de riquezas, precisamos de traçar metas e de disciplina.
    Quando isso torna um hábito em nossas vidas, fica fácil e divertido administrar nossas finanças.

    Que Deus os abençoe.

    Marli de P. Simoes.

    ResponderExcluir

Estar aqui significa que você já deu o primeiro passo em busca da sua independência financeira.
Muito obrigada pela sua participação!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...